Quem sou eu?

Olá amigos,

Meu nome é Adriana. Tenho 39 anos e desde os 4 anos tenho diabetes Tipo 1 (o insulino-dependente ou infantil).

Em todos estes anos lidando com a doença, encontrei dificuldades, conheci muita gente e aprendi muita coisa .

Uma das coisas que enfrentei foi a dificuldade de me relacionar com a doença e suas consequências. Com sintomas as vezes desconhecidos que  deixavam a mim, minha família e meus amigos confusos.

Hipoglicemias que me faziam atender o telefone no sapato, ter ataques de riso compulsivo e logo em seguida chorar muito, ter ataques de braveza sem razão nenhuma, etc.

Foram coisas com as quais eu, minha família e meus amigos tivemos  que aprender a lidar. Mas isto nem sempre foi fácil. Quando eu atendia o telefone no sapato precisava ser socorrida com uma super dose de açúcar para voltar ao normal. A primeira vista, uma insanidade em se tratando de uma pessoa diabética. Mas assim é com esta doença.

Outro dia estava fazendo as unhas no shopping quando tive uma das famosas hipoglicemias. Por sorte, ainda consciente, consegui ligar para meu marido e explicar o que estava acontecendo. Ele orientou a manicure a me dar aquela dose especial de açúcar.

Todo este tempo e todas as experiências vividas me fizeram ver como as pessoas não tem informação do que é e  de como socorrer um diabético.

Socorro este que, dependendo da situação, vem através de atitudes simples e eficazes que podem fazer toda a diferença para o bem estar do diabético.

O episódio no shopping me fez pensar: e se eu tivesse saído do ar antes de falar com o meu marido? As pessoas a minha volta saberiam como me ajudar? Teriam acionado ajuda profissional em tempo? Se acionada a ajuda profissional, esta chegaria em tempo de me socorrer? São perguntas válidas pois a hipoglicemia pode vir sem aviso, e necessita de pronto atendimento.

Levando em consideração estas perguntas, me veio a ideia de criar este blog para esclarecer as pessoas como agir com o diabético.